Hábitos

 

 Hábitos.

  Eles definem nossas práticas mais frequentes e talvez sejam o maior suporte da personalidade de um homem. São desenvolvidos apartir de nossas ações e constituem uma das propriedades primordiais das pessoas: o caráter.

  Os hábitos podem tornar nossas práticas em costumes favoráveis ou nocivos para nós e/ou para outrem, e provavelmente daí surgem as virtudes e os vícios.

  Ele são criados por nós mesmos, mas também ditados pelo meio em que vivemos. Desde que nascemos recebemos forte influência do ambiente – nosso aprendizado é muito influenciado pelo convívio, e consequentemente nossos hábitos também! Existem aqueles que desenvolvemos para facilitar e organizar nossa maneira de viver, e ainda aqueles que já estão implantados no subconsciente como impulsos involuntárias, que dão origem a algumas ações que explicamos, mais tarde, com a famosa expressão “foi força do hábito!”. Sejam seus efeitos benéficos ou daninhos, os hábitos são responsáveis pela criação de uma corrente conhecida como cotidiano, o que se torna mais densa de acordo com a longevidade de nossos costumes.

  Uma das questões mais significativas talvez seja o fato de que acima de tudo eles constroem nossa perspectiva sobre quem somos, o que pode, dependendo das circunstâncias, potencializar nossas capacidades ou limitar nossas aptidões; devido a isso, ao ascendermos nossas expectativas quanto ao que somos capazes, podemos sentir rejeição a essa nova concepção sobre nós mesmos, por ela ser contrária àquilo que fomos induzidos por nossos hábitos à considerar admissível.

  Portanto devemos estudar nossas ações para não acabarmos presos em ciclos criados por nós mesmos, pois estes são estorvos sutís aos quais nos condicionamos sem que percebamos. Entretanto, ainda que tentemos manter nossos maus costumes, não devemos ver essa irredutibilidade como um comportamento repreensível, pois é necessário sustentar algumas convicções para evitar a destruição de certas bases de nossa personalidade sem as quais nos sentiriamos confusos. O segredo é descobrir os hábitos que devemos modificar  e aqueles que devemos conservar, e, antes de tudo, ter em mente que desenvolver novas visões sobre velhos assuntos pode ser muito proveitoso.

by. GabMarks & Anne

~ por GabMarks em 17 de agosto de 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: